Gestão em Foco

25/06/2010

Nova Fase Empilhadeiras
O nome da empresa, segundo o empresário, define o momento que ele vivia na época: uma oportunidade para empreender e para sair da ‘zona de conforto’, dando início a uma nova fase em sua vida 

O empresário Adolfo Kenji Ito

Formado em Administração, Adolfo Kenji Ito tinha o sonho de ser dono do próprio negócio desde a época da universidade. Para isso, elegeu dez itens que ele considerou como uma empresa ideal para o seu perfil.

Esse ‘mapa’ foi decisivo, anos mais tarde, para a escolha de Adolfo Kenji Ito. Ele decidiu largar um emprego estável, no qual trabalhava havia 14 anos, pelo desafio e satisfação de ser dono de um pequeno negócio.

A empresa, aberta em novembro de 2001, em Curitiba, foi batizada de Nova Fase Empilhadeiras. O nome, segundo o empresário, define o momento que ele vivia na época: uma oportunidade para empreender e para sair da ‘zona de conforto’, dando
início a uma nova fase em sua vida.

Hoje, toda a família Kenji Ito está envolvida na empresa, especializada na venda, locação e manutenção de máquinas empilhadeiras, em duas unidades, uma instalada em Curitiba e outra em Londrina.

Ao todo, 17 pessoas trabalham no pequeno negócio.

 

O começo

Um dos fatores que influenciam o êxito de um pequeno negócio, segundo especialistas, é o candidato a empresário conhecer o ramo em que pretende atuar. Esse conhecimento Adolfo Kenji Ito trazia na bagagem.

Trabalhando como funcionário de uma empresa do segmento de vendas de empilhadeiras, ele deixou o cargo de gerente de vendas, após perceber em um convite uma oportunidade de negócio.

A empresa que Adolfo Kenji Ito trabalhava fechou uma parceria com a Toyota para representar máquinas empilhadeiras, no Brasil. Com descendência oriental, ele foi designado para conduzir e fechar essa negociação. Porém, as taxas de comissão estipuladas pela empresa japonesa não estavam de acordo com o que os patrões de Adolfo Kenji Ito esperavam.

“Eles acharam que, com o aumento das vendas, a comissão aumentaria. O que não aconteceu. Como eu fechei a negociação, achei que precisava ir até a Toyota para desfazer o negócio”, lembra.

Foi nesse momento que Adolfo Kenji Ito foi surpreendido com um convite. “Eles me ofereceram a representação deles. Na hora, achei antiético e passei o contato de duas outras empresas.” Mas a Toyota insistiu e voltou a negociar uma parceria com Adolfo Kenji Ito. Para que o negócio fosse fechado, ele precisava abrir uma empresa, uma exigência da empresa japonesa.

“Conversei coma minha família para saber o que eles achavam. Depois de 14 anos trabalhando como funcionário, eu tinha receio de deixar o emprego, estava em uma ‘zona de conforto’. Porém, sempre tive o sonho de ter meu próprio negócio. Então, decidi abrir a empresa e ser representante da marca, em Curitiba”, lembra.

Formado em Administração, Adolfo Kenji Ito conta que buscou pessoas especializadas para trabalhar com ele, para as áreas de venda e manutenção de peças, serviços e vendas de máquinas. Essa foi a maneira encontrada para garantir a excelência da empresa e garantir, também, que o acordo estabelecido com a Toyota gerasse bons frutos.

“Geralmente, eles não permitem que você trabalhe na sua empresa com outras marcas, apenas com a marca Toyota. Mas quando negociamos a representação, ficou decidido que eu venderia só máquinas novas da Toyota, mas poderia prestar assistência e vender peças de outras marcas. Isso foi fundamental para que a gente se estruturasse”, explica Adolfo Kenji Ito.

Porém, a ‘lua-de-mel’, como o empresário define a relação inicial com a Toyota, teve um fim. “A empresa decidiu abrir uma filial em Curitiba e tirar a nossa representação. Eles me avisaram em novembro de 2007 que em janeiro de 2008 eu não seria mais o representante”, diz Adolfo Kenji Ito.

“Quando essa notícia se espalhou no mercado, um fabricante chinês de máquinas me procurou e passamos a vender marca chinesa”, conta o empresário.

Começava uma nova parceria na carreira empresarial de Adolfo Kenji Ito que, com o bom trabalho realizado, como locação, compra e venda de máquinas e peças, além dos serviços prestados, a Nova Fase Empilhadeira foi conquistando reconhecimento no mercado. “Nós também éramos conhecidos com um bom conceito de pós-venda”, explica.Conquistada uma boa referência no mercado e trabalhando com uma marca forte, a atuação da Nova Fase Empilhadeiras chamou novamente a atenção da Toyota. “A
empresa me procurou, mas eu coloquei como condição que não venderia exclusivamente a marca deles. E eles aceitaram, mas para isso eu precisei abrir uma empresa em Londrina, o que aconteceu em 2009″, explica Adolfo Kenji Ito.

 

Um novo parceiro

“Sempre gostei de assistir o ‘Pequenas Empresas Grandes Negócios’ (programa produzido e veiculado pela TV Globo, com matérias que abordam a experiência de empresários de micro e pequenas empresas). Mas, eu achava que o Sebrae não era acessível para a minha empresa, até que recebi uma mala-direta da entidade informando sobre um programa específico para reparadoras de veículos. Mesmo não sendo especificamente o meu nicho, eu me interessei, já que o segmento de veículos é parecido com o nosso”, lembra o empresário.

Adolfo Kenji Ito procurou o Sebrae/PR, em Curitiba, e foi aceito para participar do Programa. Entre as soluções oferecidas, o empresário recebeu orientações nas áreas de Marketing, Recursos Humanos, Finanças e Produção.

“A parte financeira foi fundamental. Mesmo eu tendo facilidade, até pela minha formação em Administração e pela especialização que eu fiz, eu entrei com muita humildade, buscando o bê-á-bá. No programa, o Sebrae me apresentou planilhas que foram fundamentais e importantes para as tomadas de decisões na empresa”, observa.

Já na área de Recursos Humanos, o empresário admite que a Nova Fase Empilhadeiras foi criada de acordo com aquilo que ele acreditava. “Por isso, eu não tinha o descritivo das funções e às vezes aconteciam conflitos dentro da empresa. Com as consultorias, definimos a função de cada um dos funcionários, evitando a transposição, o que melhorou muito o ambiente da nossa empresa”, diz Adolfo Kenji Ito.

Na área de Marketing, o empresário conta que as orientações o ajudaram a ampliar a visão que ele tinha sobre a importância da estratégia de divulgar a Nova Fase Empilhadeiras. Segundo ele, ações de marketing que antes eram vistas como despesas, passaram a ser avaliadas como investimento.

“Nas consultorias, aprendi que essas ações são importantes para construir nossa imagem no mercado e passei a planejar esse investimento de uma forma constante”, ressalta.

 

Uma boa equipe

Quando Adolfo Kenji Ito ainda projetava como seria ser dono do próprio negócio, ele também estabeleceu que gostaria que a família estivesse envolvida na empresa. Foi o que aconteceu. Dois filhos do empresário e a mulher trabalham diretamente na Nova Fase Empilhadeiras.

“Minha mulher cuida da parte financeira, contas a pagar e a receber. Minha filha cuida da parte financeira da filial de Londrina e meu filho, que está se formando em Engenharia Mecatrônica, já passou por todas as áreas da empresa, em Curitiba”, diz.

Ainda de acordo com o empresário, o filho mais novo, de 12 anos, também já manifesta interesse no negócio.
Administrar uma empresa em que a família está envolvida é difícil? Segundo o empresário, não. “Conseguimos separar bem as coisas e nunca tivemos problemas. O companheirismo da minha mulher, por exemplo, ajuda na tomada de decisões. É preciso saber separar e ter respeito”, explica Adolfo Kenji Ito.

EMPRESA

Nova Fase Empilhadeiras
Rua Carlos de Laet, 5328
Boqueirão
Curitiba – PR
Telefone: (41) 3344-4988 / (41) 3015-2241
site: www.novafaseempilhadeiras.com.br

 

O Sebrae Orienta:

Muitas pessoas que estão no mercado de trabalho têm o desejo de ser empresários. Querem empreender em alguma atividade. O desafio é deixar o emprego fixo para serem donos do próprio negócio, muitas vezes duvidoso. O conhecimento do mercado, da atividade técnica, o domínio do produto ou serviço, noções de gestão e administração, além dos recursos financeiros, fazem com que a ideia possa se transformar em realidade.

No caso de Adolfo Kenji Ito, observamos que tais características foram significantes na realização  de ter o próprio negócio. Além da persistência na busca de soluções, ele enfrentou o desafio de encontrar caminhos que pudessem superar as dificuldades. As adversidades foram constantes, mas sempre superadas com determinação. O sonho de ser empresário se tornou realidade.

O sucesso de uma empresa também passa pela formação de seus dirigentes, na formação de uma equipe de colaboradores com capacidade técnica para exercerem suas funções, no bom relacionamento entre todas as áreas (vendas, produção, serviços e o apoio técnico/administrativo).

O empresário Adolfo Kenji Ito nunca está contente com o que faz e com os resultados que a empresa apresenta. Busca a melhoria contínua fazendo-a ser a melhor nesse segmento.

Foi no Sebrae/PR, com o Prosperar, que o Adolfo Kenji Ito passou a pensar e preparar a sua empresa para o futuro, construir a imagem do mercado e planejar constantemente. Foi com as consultorias de Finanças, Marketing, Produção e Recursos Humanos, pelo projeto das Reparadoras de Veículos, que o empresário ampliou seus conhecimentos da realidade da micro e pequena empresa. Com a orientação de consultores especialistas, pode visualizar a empresa na sua totalidade tomando decisões precisas, melhorando os resultados e, principalmente, o ambiente entre todas as pessoas envolvidas no processo.

José Jaime Colatusso, é consultor do Sebrae em Curitiba/PR, graduado em Finanças e MBA em Empreendedorismo. Contato:jcolatusso@pr.sebrae.com.br Fone: (41) 3330-5741.